segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Sobre o que eu tenho ouvido 1.


 Errr... A primeira constatação é que eu não tenho ouvido tanta música como eu ouço de costume (o dia todo, todas as horas, sempre). Primeiro porque esqueci meu fone de ouvido (bom) no Brasil e segundo porque quase sempre quando paro no computador de verdade eu entro no skype e faço videoconferência com alguém, daí tenho que pausar o som. DE QUALQUER MANEIRA: vamos lá!

NO DOUBT: Quem me conhece de perto sabe que sou fã de uma banda californiana chamada No Doubt que tem uma loira chamada Gwen Stefani à frente e outros três músicos muito talentosos ao lado, Tony Kanal no baixo, Tom  Dumont na guitarra e o Adrian Young na bateria, pois é! Eles são donos de hits como "Don't Speak", "It's My Life", "Undernearth It's All", entre outros. A questão é que eles lançaram oficialmente no dia 25 de setembro seu novo trabalho intitulado Push and Shove depois de uma pausa de nada menos do que 11 anos, onde cada um assumiu outros projetos e coisas do tipo. Enfim, eu tenho ouvido muito esse disco, e com certeza eles são o #1 do que eu tenho mais ouvido na última semana (fiz um jabá básico aqui pra banda, mas beleza).
Sobre o disco. Bem, o disco veio diferente de tudo que eles fizeram antes (o que é recorrente na sua discografia) com alguns elementos conhecidos (como sky, new wave, rocksteady) e alguma coisa de guitarras new order. Soa como algo bem atual, pois usa recursos como sintetizadores. Achei o álbum bem hamônico e "redondinho" (aquele que você coloca pra tocar sem pular nem uma faixa, que flui bem). As minhas faixas favoritas são "Push and Shove", "One More Summer" e "Gravity" em um primeiro escalão, no segundo eu fico com "Looking Hot", "Undone" e "Dreaming the Same Dream". No terceiro ficaria o resto, mas vale ressaltar que NÃO são faixas ruins, eu curti todas, mas preciso dizer que "Heaven" lembra muito as viradas de "Into the Groove" da Madonna (quase escuto a Gwen cantando "get into the groove / boy you've got to prove") e que o introdução de "Easy" é MUITO a cara de Roxette, de músicas como "You Don't Undestand Me" (confiram e me digam, hahaha - em um próximo momento eu posso fazer uma análise faixa a faixa).

Push and Shove, 2012.
THE KILLERS: É! Os rapazes de Vegas também estão entre meus favoritos e também estão de - AGUARDADO - disco novo (o quanto da carreira deles), o Battle Born. Bem, escutei muito pouco o trabalho novo deles, acho que duas ou três vezes, no máximo. Assim, ainda não deu tempo digerir tudo que as 15 faixas tem a oferecer, mas eu curti. Acho que é um disco tão bom quanto o Sam's Town (o melhor deles, pra mim) e SEM DÚVIDAS todo fã ficou muito feliz com a sonoridade desse disco novo, principalmente depois do baque que muitos tiveram com o Day & Age (último trabalho deles, lançado em 2008 que foi bastante criticado por soar muito indie pop ao invés de indie rock). Não vou poder destacar nenhuma faixa, porque ainda nem sei os nomes direito e, muito menos, as letras.

Battle Born, 2012.

CÉU: Eu tenho evitado escutar música brasileira por um motivo muito óbvio: fugir da saudade (haha), mas tem horas em que eu não controlo e vou colocar o Caravana Sereia Bloom pra tocar que, pra mim, é o melhor disco de MPB lançado nesse ano. A Céu tem o dom de mesclar estilos diferentes em suas músicas, fazendo de cada disco uma obra única, com uma linguagem muito DELA, com letras bem elaboradas e que nos remete muito a NOSSA cultura. Por isso a amo tanto. O Carava é um disco mais especial ainda pra mim, porque ela mesma falou que foi um disco escrito e baseado em viagens que ela fez perlo norte/nordeste de ônibus, ouvindo rádios "pé de estrada" e o resultado é simplesmente incrível. Meu destaque vai para o disco todo, não pulem uma faixa (haha!), "Chegar em Mim"... Hum... "Chegar em Mim" é a melhor lasttrack dos últimos tempos na minha humilde opinião. Amem também "Retrovisor" e "Palhaço" (regravação que fez sucesso da NOSSA Clara Nunes).

Carava Sereia Bloom, 2012.

MARIA BETHÂNIA: É, não tenho como fugir dos discos do final da década de 70 e do início da de 80 da Bethânia, fazem parte de mim, da minha história, do meu futuro, me identifico com as letras de cada canção (em especial com as que o Caetano escrevia EXCLUSIVAMENTE pra ela). Os discos são Mel (1979), Talismã (1980 - o disco da minha vida) e Alteza (1981 - que tenho escutado mais e mais). Se eu pudesse citar uma canção, eu diria "Amo Tanto Viver" que é do Gil e que tem muito a ver com o momento que eu vivo agora, mas eu não me controlo e também vou citar "Rosa do Viver" - que não sei de quem é - e "Alteza" que é do Caetano também. Ela é ESPECIAL, só isso.

Mel, 1979.

Talismã, 1980.

Alteza, 1981.

CLARA NUNES: não consigo escutar. Tenho medo de me sentir muito no Brasil e pedir uma buxada de bode ou uma feijoada à minha mãe. Acho que não houve uma cantora que passasse tão bem a cultura dos 4 cantos do nosso país. Sou apaixonado e amo o disco Claridade (1975) e evito o escutar, inclusive a faixa "Às Vezes Faz Bem Chorar". Enfim. <3

Claridade, 1975.

Acho que escrevi demais (hahaha), mas quando se trata de arte eu canalizo quase todas minhas energias para música, então acabo conhecendo muita coisa. Eu escrevi isso tudo em um piscar de olhos e acho que até abri demais meu coração. Enfim, espero que curtam! :)

5 comentários:

  1. Sem dúvida o post maior, haha!
    Fico a me perguntar como você entende tanto, haha, mas depois que paro e penso.. tiro a conclusão... deve ser bem normal a pessoal que respira música entender tanto.
    Saudades das músicas lá em casa, quando você voltar não vou pedir pra colocar o fone de ouvido, certo? hahahaha!

    Boa noite! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ok, vou ter um ano de créditos SEM reclamações. :P

      Excluir
  2. Conheço cada música ,cada clip,só não sei por título,mas isso é só um detalhe.Quando estamos em casa ouvimos muitas músicas,as vezes na pressão,rsrsrs,mas é muito o meu estilo,muitas fazem parte da minha história tambem !!! Voce mais do que ninguem sabe meu estilo de musica preferida,se curto ou não!!Não é a toa pois vc é movido por sons,a Adrian,a mãe,a Lays é q o diga.KKKK voce é o meu cantor predileto,pois sei se não fosse arquiteto seria musico kkk!!bjos!!!amo-te...

    ResponderExcluir
  3. Ae, um autêntico post musical... não só com comentários superficiais, mas com conhecimento 'de causa' sobre o que escreve(escuta). Muito bom!
    E nada como uma música pra fazer a gente ter aquela viagem interna, esbarrando quase sempre com a saudade... inevitável, né?
    Ainda não escutei direitinho o album novo do Killers, mas sempre que tô no computador deixo rolando baixinho pra ir digerindo aos poucos.
    Forte abraço, irmão! No aguardo por mais post's :P

    ResponderExcluir